Quando Brighton me disse que eu estava sendo liberado, era uma pílula amarga de engolir

O desapontamento é imediato junto com o alívio de pelo menos conhecer a decisão. Então você se questiona e sente fracasso, preocupação, medo e ansiedade que qualquer pessoa em qualquer linha de trabalho sentiria quando perdesse o emprego. Eu aprecio o quão privilegiado eu sou em fazer um trabalho que amo e ser bem pago, e eu entendo pessoas que dizem levianamente que está tudo bem para pessoas como eu que tiveram uma longa carreira e todos os benefícios que vêm com isso.Mas a pura emoção de ter que dar a má notícia para minha Unibet fogadas esposa e filhos que estão felizes na área e na escola e ter que aceitar o fato de que minhas chances de jogar no nível mais alto de novo são extremamente reduzidas faz tudo intimidante, doloroso e testando. Brom ocidental para nomear Darren Moore como gerente após feitiço interino bem-sucedido Leia mais

Como esportistas e concorrentes fomos ensinados e condicionados a nunca desistir, para continuar lutando quando as coisas estão contra você e ter fé em nossa capacidade, então quando todas essas coisas chegam a um ponto em que seus serviços não são mais necessários, quando você não é mais necessário, é uma pílula extremamente amarga de engolir, não importa o quanto você tente se preparar. e saiba que esse dia virá.Eu desfrutei incríveis três anos em Brighton, um período de melhoria estável ano após ano. Ter partido da dor de perder a promoção automática por um golo, recuperar e subir na próxima época e depois bater o Manchester United em casa, para garantir que mantivemos o nosso estatuto de Premier League, não foi nada menos do que um conto de fadas. </P >

Esta jornada foi liderada por Hughton, um gerente cheio de humildade, respeito, empatia e confiança em si mesmo por causa de seu planejamento detalhado e preparação para os jogos. Mas por trás disso, apoiando-o, estava um clube com sinergia, onde cada membro da equipe, os jogadores e os torcedores estavam lutando pelo mesmo objetivo.Todos eles tinham uma visão compartilhada e senso de responsabilidade de onde queriam ir e, mais importante, o que precisava ser feito para chegar lá.

Surpreende-me quando analisamos o futebol como pouco tomamos em conta o elemento humano do jogo – todos nós podemos falar sobre sistemas, táticas e seleções de equipe, mas o que realmente faz a diferença são as pessoas que operam dentro e fora do campo. Eles são diligentes, resilientes, honestos, atenciosos e solidários como personagens ou apontam os dedos no primeiro momento de dificuldades e se preocupam mais consigo mesmos do que com o Unibet benefício do grupo? Em Brighton, nunca tivemos esse problema. . É por isso que funcionou e espero que a filosofia da pessoa primeiro, depois do jogador, continue.Há tantas pessoas no clube que quero agradecer, de quem eu aprendi e me beneficiei de estar em sua presença. Isso torna impossível nomear todos eles, mas estou confiante de que eles sabem como sou grato por sua ajuda. Inscreva-se no The Recap, nosso e-mail semanal de escolhas dos editores.

Eu gostaria, no entanto, destacar a influência de dois que são intrínsecos ao bem-estar e sucesso dos jogadores do clube. O capitão, Bruno, é o jogador de futebol mais dedicado, talentoso, carismático e atencioso que já encontrei. Com quase 38 anos, ele está jogando, destacando-se e liderando um clube da Premier League a partir de uma posição no back-end, onde ritmo e resistência são dois dos maiores atributos necessários.Ele é um exemplo de que o chamado impossível pode ser alcançado com muito trabalho, confiança e paixão, e ele resume tudo de bom sobre o jogo que amamos.

O segundo é um dos “invisíveis” pessoas. que nunca é mencionado em campo, mas é o óleo na máquina e prova que é o trabalho do coletivo, não apenas das “estrelas” que ajudam a alcançar o sucesso. Steve Gibbon é o oficial de ligação do jogador e é um homem que corrige todos os problemas possíveis para um clube – seu trabalho é tirar a pressão dos jogadores com tudo e qualquer coisa – e ele coloca seu coração, alma e amor do clube em primeiro lugar para garantir o os jogadores estão mentalmente prontos para produzir em campo.Seu trabalho é 24 horas por dia, seja para dar apoio aos jogadores, ajudando-os a encontrar escolas e casas ou até mesmo pagando multas por estacionamento, e sua participação é tão importante quanto a nossa no campo de jogo para nos tornar bem-sucedidos. </P >

Então, enquanto estou triste por deixar um clube tão maravilhoso e enquanto não tenho certeza do meu próximo passo no mundo do futebol, sinto-me abençoado por ter feito parte da jornada que fez com que Brighton fosse promovido do clube. Campeonato para garantir seu status na Premier League.

Eu estou chegando à fase final de completar minha licença Uefa pro em coaching e gerenciamento pode ser o próximo passo, embora no momento eu ainda estou aberto Para jogar. Vou me certificar de que tomo conhecimento das lições que aprendi do meu tempo em Brighton e as aplico no futuro como jogador, técnico ou gerente.